EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Política da UE. Agência de saúde da UE alerta para o aumento das doenças evitáveis por vacinação

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças salientou o aumento do número de casos de sarampo e tosse convulsa na UE
O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças salientou o aumento do número de casos de sarampo e tosse convulsa na UE Direitos de autor Bruna Prado/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Bruna Prado/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  Marta Iraola Iribarren
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças salientou o aumento dos casos de sarampo e tosse convulsa em toda a UE e sublinhou a necessidade de seguir os protocolos de vacinação.

PUBLICIDADE

Embora se tenha verificado uma diminuição drástica da mortalidade e das doenças evitáveis por vacinação, a diretora do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), Andrea Ammon, alertou esta segunda-feira para o facto de estas continuarem a circular e a "infligir sofrimento às pessoas desprotegidas ou especialmente vulneráveis de todas as idades".

O número de casos de sarampo começou a aumentar em 2023 em toda a União Europeia. Entre março de 2023 e o final de fevereiro de 2024, foram notificados pelo menos 5770 casos de sarampo e cinco mortes.

Devido à sua fácil propagação, uma pessoa doente pode infetar entre 12 a 18 outras, pelo menos 95% da população deve ser vacinada com duas doses para impedir a transmissão do sarampo

No caso da tosse convulsa, uma infeção respiratória altamente contagiosa, também se registou um aumento acentuado dos casos desde meados de 2023. Os dados preliminares do ECDC mostram um aumento de dez vezes em 2023 e 2024 em comparação com 2022 e 2021.

Em ambos os casos, os recém-nascidos e os lactentes sofrem as consequências mais graves. Estes são os mais vulneráveis porque são demasiado jovens para serem vacinados e devem ser protegidos pela imunidade comunitária.

Ammon sublinhou a necessidade de vacinação e explicou que a imunização generalizada não só protege aqueles que são vacinados, como também ajuda aqueles que não podem receber a sua dose por serem demasiado jovens ou terem o sistema imunitário comprometido.

O ECDC atribui o aumento do número de casos a vários fatores, incluindo uma maior circulação da doença após uma diminuição durante os anos de pandemia, combinada com uma diminuição da taxa de vacinação.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) informou que, na Região Europeia, mais de 1,8 milhões de bebés não foram vacinados contra o sarampo entre 2020 e 2022.

A agência afirmou que a pandemia de COVID-19 levou a que muitas crianças não fossem vacinadas, devido a interrupções na cadeia de abastecimento, ao desvio de recursos para esforços de resposta e a confinamentos que limitaram os serviços de imunização.

A OMS alertou ainda para o facto de a desinformação sobre a segurança das vacinas ter também levado a uma diminuição da cobertura vacinal a nível mundial.

Ammon acrescentou que as vacinas continuam a ser cruciais, uma vez que o mundo enfrenta novos desafios, como novas doenças e o ressurgimento de doenças que anteriormente se pensava estarem sob controlo.

"Infelizmente, atualmente, temos fortes lembretes de que não devemos ser complacentes", afirmou.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chéquia com número recorde de casos de tosse convulsa

Surto de sarampo na Europa: casos aumentaram 30 vezes no período de um ano

Vacinas contra COVID-19 salvaram pelo menos 1,4 milhões de vidas na Europa, segundo a OMS