This content is not available in your region

Os melhores locais para a pesca desportiva em Angola

euronews_icons_loading
Os melhores locais para a pesca desportiva em Angola
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Com uma faixa litoral de 1600 quilómetros, Angola é um paraíso para a prática da pesca desportiva.

Na costa Atlântica, Luanda é um ponto de partida de eleição para os adeptos da pesca desportiva, seja para fins de lazer ou de competição. A euronews entrevistou a equipa de pesca desportiva angolana Olé.

"É um desporto muito popular. Os pescadores, as federações e os clubes fazem um grande esforço para melhorar o nosso desempenho. Temos campeonatos mundiais, temos mais de 20 ou 25 recordes mundiais em diferentes categorias. É um bom hobby e uma boa atividade", disse à euronews Nicolás Castaño Mansilla, Capitão da equipa Olé.

euronews
A pesca desportiva em Angolaeuronews

Lobito e Benguela: locais de referência para a pesca

O Lobito é considerado como um local ideal para a pesca desportiva devido à abundância de peixe. Benguela é outro dos locais de referência para os pescadores graças à mistura entre águas frias e as águas tropicais.

"Aqui em Angola temos o Lobito, é uma zona que tem muito peixe. Luanda também tem muito peixe, às vezes mais, às vezes menos, dependendo da época do ano. Temos feito campeonatos em que todos os anos se captura bastante peixe", contou José Cardoso, Campeão Mundial de Pesca Desportiva.

euronews
Luís Mateus, campeão mundial angolano de pesca desportivaeuronews

Os campeonatos mundiais no Lobito

O Lobito já acolheu campeonatos mundiais e atrai pescadores de vários países do mundo.

"O mar em Angola é bom. Em comparação com a Costa Rica, Cabo San Lucas (no México) e outros países, Angola não fica atrás", garantiu Luís Mateus, Campeão Mundial de Pesca Desportiva.

Atualmente, os eventos da pesca desportiva estão suspensos devido à pandemia. Mas, em Luanda, os pescadores têm esperança de que a crise passe depressa para voltarem a competir com os melhores do mundo.

Clique no vídeo acima para ver a reportagem completa