A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Aviação em alta

Aviação em alta
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Optimismo cresce no sector da aviação comercial. Esta parece ser a conclusão do Festival Aéreo Internacional de Farnborough, no Reino Unido. Depois da crise financeira global, das cinzas vulcânicas da Islândia entre outros problemas, há sinais positivos no sector. O número de passageiros está a crescer e a Associação Internacional de Transportes Aéreos, IATA, prevê lucros globais de 1,93 mil milhões de euros este ano, uma diferença relativamente ao prejuízo de 7,2 mil milhões de euros em 2009.

Em Farnborough, colocámos a mesma questão aos dois maiores fabricantes mundiais: será que a recessão já terminou?

“É muito difícil prever o futuro. Gostaria de pensar que sim. Há quem fale numa dupla recessão mas nós pensamos que isso não vai acontecer. A questão é que a recuperação não é uniforme. Há partes do mundo que estão a recuperar mais depressa do que outras. Há também muita gente a regressar ao mercado, gente que não víamos há muitos anos. O tráfego está a aumentar, as pessoas procuram aviões mais eficientes, há dinheiro para comprar aviões. Espero que de facto, a recuperação esteja a caminho”, disse Jim Albaugh, Presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes.

John Leahy, COO da Airbus, afirma, “acreditamos que a recessão já acabou. A questão mais relevante agora é a curva de ascensão. Nos primeiros seis meses do ano recolhemos 131 encomendas. Prevejo que até ao fim deste festival venhamos a duplicar este número. isso significa que a recessão terminou de facto”.

Opiniões diferentes mas tudo sugere, de facto, que os ventos mudaram e o sector da aviação comercial está de novo prestes a descolar.