Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Damas de Branco recebem Prémio Sakharov com 8 anos de atraso

Damas de Branco recebem Prémio Sakharov com 8 anos de atraso
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As Damas de Branco foram escolhidas pelo Parlamento Europeu para receberem o Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento em 2005. Mas só oito anos depois, esta terça-feira, é que o grupo de mulheres que luta pela democracia em Cuba pode deslocar-se a Bruxelas para receber o galardão. O regime comunista dos irmãos Castro tinha impedido até agora a saída da ilha.

Todos os domingos, na Igreja de Santa Rita, em Havana, capital de Cuba, mulheres vestidas de branco reúnem-se para rezar em nome da libertação dos presos políticos, muitos deles membros da família.

O movimento das Damas de Branco formou-se na chamada “Primavera Negra” de 2003, quando o regime mandou prender 75 dissidentes políticos, entre os quais intelectuais, jornalistas e médicos. Penas de prisão entre 15 a 28 anos foram aplicadas por atentado contra a segurança do Estado.

Nos últimos anos, alguns presos foram libertados, tendo parte seguido para o exílio, mas ainda restam mais de uma dezena do grupo original. Entretanto, outros dissidentes foram detidos pelo mesmo motivo.

  • O Prémio Sakharov tem como objetivo galardoar pessoas de exceção que se notabilizaram pelo combate à intolerância, fanatismo e opressão e os vencedores do prémio devem ter “mostrado quanta coragem é precisa para defender os direitos humanos e a liberdade de expressão”.
  • O prémio foi criado em 1988 pelo Parlamento Europeu. Juntamente com o troféu, é atribuído um prémio monetário de 50 mil euros.
  • Os nomeados são selecionados pelos deputados do Parlamento Europeu e uma lista de três finalistas é apresentada pelos Comités dos Negócios Estrangeiros e do Desenvolvimento. Depois, a Conferência dos Presidentes escolhe o laureado.
  • Andreï Sakharov (1921-1989) foi um cientista nuclear soviético, o pai da bomba de hidrogénio. Preocupado com o resultado do seu trabalho para o futuro da humanidade, dedicou-se a impedir a corrida ao armamento nuclear. Desempenhou um papel importante em 1963 no Tratado de Proibição Parcial dos Testes Nucleares e, mais tarde fundou um comité de defesa dos direitos humanos e das vítimas dos tribunais políticos na União Soviética. Em 1975 recebeu o Prémio Nobel da Paz pelo reconhecimento dos seus esforços.
  • Entre os mais famosos galardoados estão: Nelson Mandela (1988), As Mães da Praça de Maio (1992), As Nações Unidas (2003), Repórteres Sem Fronteiras (2005), Nasrin Sotoudeh (2012).

A correspondente da euronews em Bruxelas, Sara Blanco, entrevistou Berta Soler, uma das fundadoras das Damas de Branco que, com outros quatro elementos, veio a Bruxelas receber, finalmente, o Prémio Andrei Sakharov.

“Há ainda centenas de pessoas presas por razões políticas. Não temos números exatos, mas há centenas de pessoas. Uma delas é uma Dama de Branco, Sonia Garro, que está detida há um ano e dois meses, sem julgamento, tal como seu marido, e cuja filha de 16 anos está agora sem amparo dos pais. Neste momento, os presos vivem em condições desumanas, em celas superlotadas que partilham com violadores, assassinos e traficantes de droga. A comida que lhes dão é igual à dos porcos. Fazem-no de propóstio, para que os presos a rejeitem e os guardas a possam levar para engordar os porcos”, foi um das descrições que fez da situação atual em Cuba.

(Veja em vídeo a entrevista na íntegra)