EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Houve força desnecessária na morte de sem-abrigo em Los Angeles?

Houve força desnecessária na morte de sem-abrigo em Los Angeles?
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AFP / Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A divulgação de um vídeo amador do momento em que um sem-abrigo é morto a tiro pelas forças da ordem, em Los Angeles, relançou as críticas contra a

PUBLICIDADE

A divulgação de um vídeo amador do momento em que um sem-abrigo é morto a tiro pelas forças da ordem, em Los Angeles, relançou as críticas contra a violência policial nos Estados Unidos.

O presidente da Câmara da metrópole norte-americana, Eric Garcetti, garantiu que haverá um “inquérito meticuloso”. A mesma promessa foi feita pelo chefe da Polícia de Los Angeles, que assumiu uma postura defensiva.

Charlie Beck disse que “os agentes envolvidos no incidente fazem parte da iniciativa intitulada ‘Cidades Mais Seguras’ e receberam treino especial para lidar com desalojados e pessoas com problemas mentais. Vários participaram num treino exaustivo sobre problemas mentais”.

De acordo com o diretor da ONG Union Rescue Mission, que assiste os sem-abrigo de Los Angeles, o homem alvejado pela polícia, que tinha a alcunha de “África”, tinha um historial de comportamento errático e violento.

Mas outro sem-abrigo que o conhecia, diz que “havia polícias suficientes no local para o conter, com ou sem problemas mentais. Tratou-se de um uso desnecessário de força bruta”.

A intervenção policial ocorreu na sequência de um roubo. Segundo os relatos oficiais, foi a tentativa do sem-abrigo para agarrar a arma de um dos polícias que precipitou o tiroteio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden apela aos americanos que evitem a violência política após tentativa de assassinato de Trump

Joe Biden defende o seu desempenho no debate, afirmando que sabe “fazer o seu trabalho”

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"