EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Tunísia: Segurança Máxima e 20 detenções desde o atentado no Museu Bardo

Tunísia: Segurança Máxima e 20 detenções desde o atentado no Museu Bardo
Direitos de autor 
De  Euronews com REUTERS, EFE, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Mais de 20 pessoas já foram detidas para interrogatório pelas autoridades de Tunes desde o ataque de quarta-feira.

PUBLICIDADE

Segurança máxima na Tunísia após o atentado no Museu Bardo onde morreram duas dezenas de turistas estrangeiros.

Mais de 20 pessoas já foram detidas para interrogatório pelas autoridades de Tunes desde o ataque de quarta-feira.

À parte da reivindicação feita pelos extremistas do autodenominado Estado Islâmico, o atentado foi unanimemente condenado. Rachid Ghannouchi, o líder islâmico moderado, que regressou do exílio após a queda de Ben Ali, disse estar “triste e revoltado contra este acto terrorista, que não tem lugar no Islão nem na tradição tunisina”.

A Itália já chegaram os corpos dos quatro turistas italianos mortos no atentado. Os familiares das vítimas foram recebidos no aeroporto militar de Roma pelo primeiro-ministro, Matteo Renzi. Ainda na pista do aeroporto houve espaço para uma curta cerimónia de homenagem aos que foram abatidos na Tunísia. O ataque de quarta-feira foi o mais sangrento no país do Norte de África desde o atentado suicida de 2002, em Djerba.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Acordo para acolher migrantes retidos entre Tunísia e Líbia

União Europeia e Tunísia assinam parceria estratégica

Crise de migrantes motiva nova viagem da "team Europa" à Tunísia