Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Al-Shabab faz massacre em universidade no Quénia

Al-Shabab faz massacre em universidade no Quénia
Tamanho do texto Aa Aa

É um dos maiores e mais mortíferos ataques de sempre do grupo Al-Shabab, no Quénia.

Esta é uma altura para que todos no país estejam extremamente vigilantes, enquanto combatemos e derrotamos os nossos inimigos.

Pelo menos 70 estudantes foram mortos a tiro quando homens armados entraram na Universidade de Garissa, no leste do país, e começaram a disparar indiscriminadamente. Há várias dezenas de feridos. Entretanto, o ataque transformou-se em tomada de reféns, que segundo as autoridades está quase terminada.

Um porta-voz do Al-Shabab que diz que todos os muçulmanos foram libertados e só os não-muçulmanos continuam reféns.

O presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, promete guerra a este grupo, que está a semear o terror no país: “Esta é uma altura para que todos no país estejam extremamente vigilantes, enquanto combatemos e derrotamos os nossos inimigos”.

Tudo começou por volta das 5 e 30, altura em que os militantes entraram no campus da Universidade, duranrte as orações matinais. Percorreram depois várias salas de aula, sempre disparando indiscriminadamente.

O movimento Al-Shebaab tinha prometido vingar a intervenção queniana na Somália e já cometeu vários atentados em Garissa, assim como em Nairobi. Reivindicou, entre outros, a tomada de reféns num centro comercial da capital, em 2013, que fez 67 mortos.