EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Nuclear: EUA impacientes

Nuclear: EUA impacientes
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

As negociações entre os 5+1 e o Irão sobre o programa nuclear iraniano irão continuar esta quinta-feira, mas, em Washington, a paciência começa a

PUBLICIDADE

As negociações entre os 5+1 e o Irão sobre o programa nuclear iraniano irão continuar esta quinta-feira, mas, em Washington, a paciência começa a esgotar-se.

É cada vez mais difícil à administração norte-americana
justificar internamente a aposta no que já foi visto como a possível grande vitória da política externa de Barack Obama.

“Se chegarmos a uma situação em que as conversações caiem num impasse, os Estados Unidos e a comunidade internacional estão preparados para abandonar a mesa de negociações. Temos sido muito claros acerca dos compromissos que esperamos desde há mais de um ano”, afirmou Josh Earnest, secretário de imprensa da Casa Branca.

Os republicanos, que desde o início se opuseram às conversações com o Irão, acusam Barack Obama de fazer demasiadas cedências apenas para conseguir um acordo e de deliberadamente ultrapassar o Congresso, onde têm a maioria.

“A administração Obama podia ter negociado muito melhor. Especialmente no início tinham muitas cartas para jogar e entregaram a margem de manobra aos iranianos logo aí. Trocaram concessões temporárias e reversíveis dos iranianos por concessões americanas muito importantes e irreversíveis”, disse o analista político Mike Doran.

O correspondente da Euronews em Washington acompanha as reações internas norte-americanas.

“A data limite para um acordo definitivo com o Irão é o fim de junho, o que dá à administração Obama mais alguns meses para convencer o Congresso. Contudo os republicanos e muitos democratas continuam céticos quanto ao Irão ser merecedor de confiança”, sublinha Stefan Grobe.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Programa nuclear Irão: Negociações continuam na Suíça

Líder supremo do Irão admite poucos danos no ataque a Israel: "O que importa é a vontade iraniana"

Rússia e Irão unidos contra o Ocidente