EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Coligação saudita retoma bombardeamentos no Iémen

Coligação saudita retoma bombardeamentos no Iémen
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A coligação militar liderada pela Arábia Saudita retomou esta terça-feira os bombardeamentos aéreos de Sana e outras cidades do Iémen, depois de

PUBLICIDADE

A coligação militar liderada pela Arábia Saudita retomou esta terça-feira os bombardeamentos aéreos de Sana e outras cidades do Iémen, depois de acusar os rebeldes xiitas de aproveitar a trégua humanitária de cinco dias para reforçar suas posições.

Entretanto, a ONU sublinha que a trégua de cinco dias não permitiu chegar a todos aqueles que necessitam urgentemente de alimentos.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, apela ao diálogo político e defende negociações entre os Houthis e o governo do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi no exílio, ainda este mês.

“Exorto as partes em conflito a resolver todas as questões pendentes através de um diálogo político. Reafirmo a minha disposição de convocar um diálogo político em Genebra o mais rapidamente possível, com a participação de todas as partes”, disse Ban Ki-moon em Genebra.

O apelo do secretário-geral da ONU pode cair em saco rôto – segundo o vice-presidente Khaled Bahah, o governo do Iémen no exílio não aceitará conversações de paz com a milícia xiita enquanto os rebeldes houthi não abandonarem as cidades que ocuparam.

“Acho que há-de chegar o momento para nos sentarmos à mesa de negociações com os houthis, mas não o faremos sem que cumpram a resolução 2216 do Conselho de Segurança da ONU e as restantes”, disse Khaled Bahah esta terça-feira na capital saudita.

A Organização das Nações Unidas apontou esta terça-feira para um balanço de 1849 mortos e 7394 feridos desde o início do conflito no Iémen, e alerta para uma situação humanitária “catastrófica”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Palestinianos procuram por sobreviventes após ataque a campo de refugiados de Jabalia

Reino Unido destina 3,5 mil milhões de euros por ano à Ucrânia "durante o tempo que for necessário"

Aos 79 anos, Olga despede-se da sua casa destruída por um ataque aéreo russo