EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Malásia revela horror de campos de detenção de clandestinos

Malásia revela horror de campos de detenção de clandestinos
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

As autoridades da Malásia estão a investigar a possível cumplicidade da guarda florestal do país com o tráfico de imigrantes clandestinos. O anúncio

PUBLICIDADE

As autoridades da Malásia estão a investigar a possível cumplicidade da guarda florestal do país com o tráfico de imigrantes clandestinos.

O anúncio foi feito após a descoberta de 139 valas comuns e quase três dezenas de campos de detenção de imigrantes junto à fronteira com a Tailândia.

Abandoned 2 yrs ago, this was one of the larger detention camps that could house 300 people easily @ChannelNewsAsiapic.twitter.com/wB1eGJKmJN

— melissa goh (@melgoh) May 26, 2015

Os primeiros corpos começaram a ser exumados das instalações, escondidas em plena floresta e que acolhiam até 300 pessoas, quando os jornalistas foram autorizados a visitar alguns dos campos esta terça-feira. > Victims were caged up in structures that are all fenced up with barbed wires @ChannelNewsAsiapic.twitter.com/egE0GUya3P

— melissa goh (@melgoh) May 26, 2015

Horrific pictures of death camps in which people were housed in cages, in Wang Kelian, Perlis. pic.twitter.com/n75fqWQPsV

— Charles Santiago (@mpklang) May 26, 2015

Segundo as autoridades, alguns dos migrantes retidos e torturados em jaulas de madeira pertenceriam à minoria muçulmana rohingya do Myanmar.

A descoberta ocorre semanas depois da Tailândia ter lançado uma operação contra o tráfico de clandestinos, após a descoberta de instalações similares junto à fronteira.

Banguecoque mobilizou vários meios aéreos e um navio porta-helicópteros para socorrer mais de 2.000 clandestinos abandonados há vários dias pelos traficantes no mar de Adaman.

As autoridades tailandesas rejeitam, no entanto, acolher os migrantes, que deverão ser transferidos para campos de refugiados na Malásia e Indonésia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Quatro detidos por alegada invasão da casa de campo do primeiro-ministro britânico

Líder do Malawi pede investigação independente à morte do vice-presidente em acidente de aviação

Polícias francesa e espanhola simulam ataque terrorista em preparação para os Jogos Olímpicos