Prémios Princesa das Astúrias: Duas mulheres conquistam a categoria de Investigação Científica e Técnica pela primeira vez

Prémios Princesa das Astúrias: Duas mulheres conquistam a categoria de Investigação Científica e Técnica pela primeira vez
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna, duas figuras de renome mundial no panorâma científico, são as grandes vencedoras do Prémio Princesa das

PUBLICIDADE

Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna, duas figuras de renome mundial no panorâma científico, são as grandes vencedoras do Prémio Princesa das Astúrias, na categoria de Investigação Científica e Técnica.

Um anúncio feito hoje em Oviedo, em Espanha, por Pedro Miguel Echenique: “Ambas as investigadoras estudaram a forma como as bactérias se defendem de certos vírus que as infetam, destruindo o seu ADN e reconheceram algumas das suas características específicas. Esta metodologia permite eliminar, ativar, desativar e mesmo corrigir qualquer gene e tem várias aplicações, tanto na investigação como na agricultura, na pecuária e biomedicina.”

Os Prémios Princesa das Astúrias distinguem figuras notáveis em várias áreas. É a primeira vez que duas mulheres vencem nesta categoria de Investigação Científica e Técnica.

Juntas inventaram a técnica CRISPR/cas9 que revolucionou o campo da engenharia genética. Esta descoberta já recebeu inúmeros prémios de prestígio e agora recebe também o galardão Princesa das Astúrias.

A francesa Emmanuelle Marie Charpentier é microbiologista e imunologista. O seu trabalho assenta na regulação da expressão dos genes e nas bases moleculares das infeções, assim como na forma como as bactérias lutam contra os agentes patogénicos.

A norte-americana Jennifer Doudna é bioquímica, bióloga molecular e professora da Universidade da Califórnia – em Berkeley. Também realizou pesquisas inovadoras que levaram a um método que possibilitou a cristalização das moléculas de RNA (ácidos ribonucleicos).

Cada vencedor recebe uma escultura de Joan Miró e uma quantia de 50 mil euros, assim como um diploma e uma insígnia. Neste caso, o prémio monetário será partilhado pelas duas vencedoras.

Nas próximas semanas, a Fundação Princesa das Astúrias vai anunciar os galardoados nas áreas de Desporto, Letras, Cooperação Internacional e Concórdia.

A cerimónia solene de entrega dos Prémios vai ter lugar no Principado das Astúrias, na segunda quinzena do mês de outubro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Encontrados restos mortais do pequeno Émile

Censo Oceânico tenta salvar espécies marinhas antes que seja tarde

A maior coleção de cérebros do mundo