EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

EUA: mais casos de envio "erróneo" de Antrax ativo

EUA: mais casos de envio "erróneo" de Antrax ativo
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Um “erro” ainda maior do que se pensava: o Exército dos Estados Unidos admitiu ter enviado “inadvertidamente” para um total de 24 laboratórios de

PUBLICIDADE

Um “erro” ainda maior do que se pensava: o Exército dos Estados Unidos admitiu ter enviado “inadvertidamente” para um total de 24 laboratórios de onze Estados diferentes e de bases norte-americanas na Austrália e na Coreia do Sul amostras da bactéria viva de Antrax. O número de “destinatários” é assim superior ao já indicado pelo Pentágono, há dois dias.

Os envios, feitos entre março de 2014 e abril deste ano, deviam, em princípio, conter amostras de Antrax inativo. O Pentágono garantiu que “não há qualquer risco conhecido para o público em geral e o risco é extremamente baixo para os trabalhadores dos laboratórios” em questão.

Ainda assim, quatro civis foram colocados sob medidas preventivas nos Estados Unidos, bem como 22 pessoas na base norte-americana da Coreia do Sul que recebeu as amostras.

A origem dos envios “erróneos” parece ser, segundo as investigações em curso, o laboratório da base militar de Dugway Proving Grounds, no Utah.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Homem que recebeu rim de um porco teve alta hospitalar

Incêndio de grandes proporções afeta empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk

Canábis pode ajudar a travar cancro da pele