Última hora
This content is not available in your region

Reino Unido vai acolher 20 mil refugiados sírios

Access to the comments Comentários
De  Dulce Dias com Lusa, AFP, EFE, Reuters
euronews_icons_loading
Reino Unido vai acolher 20 mil refugiados sírios
Tamanho do texto Aa Aa

O Reino Unido vai acolher 20 mil refugiados sírios durante os próximos cinco anos. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro. David Cameron, que falava perante o parlamento na ‘rentrée’ política, referiu que a prioridade será dada às “crianças vulneráveis e aos órfãos”.

Como não fazemos parte do espaço sem fronteiras de Schengen, podemos decidir a nossa própria abordagem - David Cameron

Cameron anunciou igualmente uma ajuda de mais de 16 milhões de euros para melhorar as condições nos campos de refugiados da Turquia, Jordânia, Líbia e Síria.

“A Grã-Bretanha vai desempenhar o seu papel lado a lado com os parceiros europeus. Mas – e isto é importante – como não fazemos parte do espaço sem fronteiras de Schengen, podemos decidir a nossa própria abordagem”, defendeu o primeiro-ministro.

Embora concorde, a líder da oposição trabalhista, Harriet Harman, quer mais esforços e mais imediatos.

Ainda perante os deputados, o primeiro-ministro anunciou a morte de três jihadistas do grupo Estado Islâmico – dois dos quais britânicos-, ao confirmar o primeiro ataque aéreo britânico na Síria.

E apesar de não ter autorização parlamentar para bombardear o território, Camerou justificou os ataques: “O Reino Unido está a exercer um direito inerente à sua autodefesa. Havia provas claras de que os indivíduos em questão estavam a planear ataques armados contra o Reino Unido. Ataques que faziam parte de uma série de tentativas de ataques, reais e falhadas, contra o Reino Unido e os nossos aliados.”

Entre os jihadistas mortos encontrava-se Reyaad Khan, um jovem de 21 anos, originário de Cardiff e que se radicalizou sem que a família se apercebesse.

O ataque foi perpetrado por um “drone” da Royal Air Force, a 21 de agosto último. Dois outros jihadistas do Estado Islâmico, um dos quais igualmente britânico, foram igualmente mortos.