EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Dinamarca fecha a porta a refugiados com anúncios na imprensa libanesa

Dinamarca fecha a porta a refugiados com anúncios na imprensa libanesa
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Dinamarca decide promover a sua política de controlo da imigração para lá das fronteiras do país. O ministério dos Negócios Estrangeiros

PUBLICIDADE

A Dinamarca decide promover a sua política de controlo da imigração para lá das fronteiras do país.

O ministério dos Negócios Estrangeiros dinamarquês publicou um anúncio em quatro jornais libaneses para dissuadir os refugiados de tentarem aceder ao seu território.

Ad placed in #Lebanon media by Denmark informing of restrictive immigration rules. Huge # from #Syria in Lebanon. pic.twitter.com/usgOHfbKt2

— ChristianChristensen (@ChrChristensen) September 7, 2015

O texto lembra que as ajudas para refugiados foram recentemente reduzidas em 50% ou que os candidatos rejeitados serão imediatamente extraditados para o país de origem.

Para um habitante de Beirute, “este anúncio é engraçado ao início pois, em vez de promover a ajuda aos refugiados numa crise como a atual, eles anunciam que estão a cortar nas ajudas em forma de publicidade… Como se estivessem a vender algo, o que é ridículo”.

Para outra habitante, “se eles querem fazer um gesto humanitário deveriam antes de mais albergar um certo número de refugiados, em vez de falarem de um grande afluxo como o fazem neste texto. Nós recebemos quase dois milhões de refugiados no nosso país e não sabemos quem são nem de onde vêm. Esta atitude é inaceitável”.

O anúncio é publicado num momento em que o governo liberal, sob pressão da extrema-direita (o segundo partido do país)tenta travar o fluxo de refugiados que atravessa o território rumo à Suécia.

A polícia encerrou ontem uma autoestrada fronteiriça para bloquear uma marcha de cerca de 300 refugiados provenientes da Alemanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mais de 300 obras de arte recuperadas após fogo na Bolsa de Copenhaga

Pedreiro dinamarquês desafia a tradição com lápides ecológicas feitas de barro

Incêndio num dos mais antigos edifícios de Copenhaga terá destruído séculos de património cultural