EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Birmânia: analistas receiam tensões pós-eleitorais

Birmânia: analistas receiam tensões pós-eleitorais
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cerca de 30 milhões de birmaneses são chamados às urnas no domingo, para eleições que, segundo os observadores, podem vir a agravar as tensões entre

PUBLICIDADE

Cerca de 30 milhões de birmaneses são chamados às urnas no domingo, para eleições que, segundo os observadores, podem vir a agravar as tensões entre os militares e a líder da oposição, Aung San Suu Kyi.

A campanha eleitoral chegou ao fim, dominada pelo Partido para a Solidariedade e o Desenvolvimento (USDP), no governo, e pela Liga Nacional para a Democracia (LND) de Suu Kyi.

As declarações recentes de Suu Kyi sobre a intenção de governar acima do presidente se o seu partido conseguir uma vitória histórica nas eleições, complicam as relações já difíceis com os militares.

A carismática líder da oposição e prémio Nobel da Paz, que esteve 15 anos em prisão domiciliária, é impedida de candidatar à presidência por uma norma constitucional concebida pelos militares, segunda a qual não pode assumir a presidência quem tenha familiares estrangeiros. Uma regra claramente destinada a afastar Suu Kyi, cujos filhos têm passaporte britânico.

Em 1990, a LND ganhou as eleições por uma confortável vantagem, mas Suu Kyi estava sob prisão domiciliária e foi impedida pelos militares de tomar posse.

O exército mantém na Birmânia uma grande influência sobre a política. Nas câmaras alta e baixa do parlamento, 25% dos lugares estão reservados a deputados militares, designados pelo chefe do Estado Maior. Para ter maioria nas duas câmaras, a LND terá que garantir pelo menos 330 lugares, enquanto que ao USDP bastam 33% dos assentos parlamentares, graças ao apoio dos militares.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Conservadores no poder vencem eleição na Croácia, mas precisam de apoios para governar

Eleições parlamentares no Irão começam com mais de 15 mil candidatos

Irão realiza eleições parlamentares na sexta-feira