EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cameron avança exigências para manutenção do Reino Unido na UE

Cameron avança exigências para manutenção do Reino Unido na UE
Direitos de autor 
De  Dulce Dias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais flexibilidade e menos integraçao duas das exigências britânicas para evitar o chamado "Brexit"

PUBLICIDADE

Menos integração e mais flexibilidade, palavras de ordem de David Cameron na sua visão da Europa. O primeiro-ministro britânico discursou esta terça-feira na Chatam House, em Londres. Perante este um grupo de reflexão, detalhou os pontos essenciais para reformar a União Europeia.

“A União Europeia precisa de mais flexibilidade para respeitar quem está dentro e quem está fora da zona euro; quem deseja mais integração económica e política e quem, como o Reino Unido, nunca terá esse objetivo. Por isso, temos de ser honestos: o compromisso face ao tratado que defende uma União cada vez mais profunda não deve continuar a aplicar-se à Grã-Bretanha. Não acreditamos nessa visão, não a subscrevemos e temos uma visão diferente da Europa.”

Precise form of #EUreform changes are up to negotiation but they must be legally binding – David_Cameron</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/CHspeech?src=hash">#CHspeech</a> <a href="https://t.co/53IekXBWCp">pic.twitter.com/53IekXBWCp</a></p>&mdash; Chatham House (ChathamHouse) 10 Novembre 2015

Para além de querer travar a integração europeia e de defender um mercado único com várias moedas, Cameron quer também mais competitividade no seio da União – ou seja, menos regras e entraves as empresas – e mais poder para os parlamentos nacionais, por forma a decidir, por exemplo, que tipo de subsídios um país pode acordar aos imigrantes.

(1/3) Today I set out the four objectives at the heart of our EU renegotiation – and you can see them here: https://t.co/btKDfVJhTy

— David Cameron (@David_Cameron) 10 Novembre 2015

(2/3) The renegotiation is not mission impossible. With patience and goodwill, a deal can be done.

— David Cameron (@David_Cameron) 10 Novembre 2015

(3/3) I am confident we can do a deal, but if the EU turns a deaf ear, I rule nothing out. More from today's speech: https://t.co/btKDfVJhTy

— David Cameron (@David_Cameron) 10 Novembre 2015

De olhos postos no prometido referendo sobre a manutenção ou não do Reino Unido na União Europeia, Cameron estabelece, assim, as suas exigências para evitar o chamado “Brexit”. Até porque, assim o garantiu, se o Reino Unido disser “não” à Europa não haverá segundo referendo.

#Cameron rules out a second referendum – “this will be a once-in-a-generation choice… if we vote to leave, we will leave”#EUref

— Europe Decides (@EuropeDecides) November 10, 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comissão Europeia considera algumas pretensões britânicas "altamente problemáticas"

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido