Última hora

"Nu deitado" de Modigliani bate recorde na Christie's

"Nu deitado" de Modigliani bate recorde na Christie's
Tamanho do texto Aa Aa

Noite de recordes na Christie’s, em Nova Iorque. A começar “Nu deitado” (Nu couché), uma obra-prima Modigliani, arrematado por 170,4 milhões de dólares, após nove minutos de leilão aguerrido entre sete compradores. Foi adquirida por Liu Yiqian, um colecionador chinês.

Toda a gente, todos os críticos e todas as pessoas que realmente compreendem a pintura do século XX perceberam que esta é a maior obra do artista - presidente da Christie's

A obra torna-se assim a mais cara do pintor italiano, é a segunda mais cara de sempre vendida em leilão.

A primeira é “Mulheres de Argel” (versão O) – “Les femmes d’Alger version O” -, de Picasso, vendida em maio último, por 179,4 milhões de dólares, também pela Christie’s.

O presidente da Christie’s, Jussi Pylkkanen, não esconde a satisfação de vender tal obra: “É uma tela extraordinária. Não está no mercado há mais de 100 anos. Foi pintada em 1917, durante a I Grande Guerra e toda a gente, todos os críticos e todas as pessoas que realmente compreendem a pintura do século XX perceberam que esta é a maior obra do artista.”

Pouco minutos depois, outro recorde mundial foi batido: a “Enfermeira” (“Nurse”), de Roy Lichtenstein, foi leiloada por 95,37 milhões de dólares, suplantando os 56,12 milhões de dólares de “Women with Flowered Hat” e tornando-se na obra mais cara do mestre americano da pop art.

Recorde também para uma escultura em madeira do Paul Gauguin, arrematada por 30,9 milhões de dólares – a mais cara de sempre do artista francês.

Tanto a Christie’s como a Sotheby’s – as duas principais leiloeiras – esperam realizar, cada uma, mais de mil milhões de dólares durante os leilões de outono, que começaram a 4 de novembro e terminam no próximo dia 12, em Nova Iorque.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.