EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Síria: Parlamento britânico decide se bombardeia ou não posições do Daesh

Síria: Parlamento britânico decide se bombardeia ou não posições do Daesh
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bombardear ou não o autoproclamado Estado Islâmico na Síria. A proposta está a ser discutida no parlamento britânico a pedido do primeiro-ministro

PUBLICIDADE

Bombardear ou não o autoproclamado Estado Islâmico na Síria. A proposta está a ser discutida no parlamento britânico a pedido do primeiro-ministro David Cameron, que é a favor e a oposição está contra a intervenção. Dezenas de deputados pediram a palavra neste debate e a votação ocorre depois 10 da noite, a mesma hora em Lisboa, na Câmara dos Comuns.

Cameron garante que o Reino Unido tem “capacidade para reduzir a ameaça à nossa segurança. Acredito que devemos trabalhar para lutar e acabar com os terroristas de imediato. Devemos responder aos pedidos dos nossos aliados uma vez que esta é uma ação legal. É a coisa certa a fazer para manter a segurança no nosso país.”

The case for military intervention in Syria as part of a wider strategy – my opening speech in the Commons debate: https://t.co/xPpgoBtpzs

— David Cameron (@David_Cameron) 2 dezembro 2015

O líder dos Trabalhadores, Jeremy Corbyn, é contra qualquer intervenção militar mas deu liberdade de voto aos membros do partido. Corbyn fez um apelo: “peço a todos os que pertencem a esta Câmara que pensem de forma cuidadosa sobre a responsabilidade que recai sobre nós. Enviamos bombardeiros sem termos consciência das consequências ou não o fazemos e centramos os nossos esforços em alcançar uma solução humanitária e justa para a terrível situação que se vive na Síria”.

In 7 days 5 million Brits change their minds on Syrian airstrikes. Concerned citizens or terrorist sympathisers? pic.twitter.com/8yoXBG2bee

— Jeremy Corbyn MP (@jeremycorbyn) 2 dezembro 2015

Se for aprovada a ação, os aviões da força aérea britânica devem começara a atacar as posições jihadistas na Síria já nos próximos dias, sobretudo, a cidade de Al Raqa, no norte do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estados Unidos pedem ajuda aos aliados da NATO

William apareceu sem Kate na "Garden Party" de verão do Palácio de Buckingham

Rishi Sunak saúda recuperação das instituições autónomas na Irlanda do Norte