Última hora
This content is not available in your region

OPEP não deve cortar na produção de petróleo

Access to the comments Comentários
De  Euronews com reuters, lusa
OPEP não deve cortar na produção de petróleo
Tamanho do texto Aa Aa

Ninguém acredita que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) chegue hoje a acordo para reduzir a produção de ouro negro de forma a eliminar o excesso de oferta no mercado.

O barril continua a negociar próximo de mínimos de mais de seis anos, mas um dos principais atores do mercado, a Arábia Saudita, e alguns dos seus aliados no Golfo Pérsico têm repetido que só irão reduzir a produção se outros grandes produtores fora do cartel, caso da Rússia, também cortarem na produção. Foi o que recordou o ministro saudita do Petróleo no arranque da reunião da OPEP, esta sexta-feira em Viena, na Áustria. O homólogo iraniano acrescentou que “sendo realista”, não acredita que “os membros estejam prontos para cortar” na produção. O regresso do Irão aos mercados após décadas de sanções económicas irá pressionar ainda mais os preços para baixo.

A estratégia comercial da OPEP tem sido de inundar o mercado de petróleo, defendendo a sua quota de mercado na expectativa que os preços baixos acabem por empurrar para fora do mercado quem tem maiores custos de produção, como é o caso dos produtores dos hidrocarbonetos de xisto nos Estados Unidos. Em pouco mais de um ano, o barril de petróleo perdeu mais de metade do seu valor.

A enviada da euronews a Viena, Daleen Hassan, refere que, “apesar dos analistas estarem à espera que a OPEP mantenha a atual política de produção, as discussões prosseguem. A questão agora está em saber se os países membros vão encontrar uma solução satisfatória para travar a queda dos preços do petróleo”.