Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

EUA: EI saúda mas não reivindica atentado de San Bernardino

EUA: EI saúda mas não reivindica atentado de San Bernardino
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O grupo Estado Islâmico saudou o atentado de quarta-feira num centro social de San Bernardino, nos Estados Unidos.

Numa mensagem difundida na Internet, o grupo islamita afirma que os dois suspostos atacantes eram seguidores do EI, sem no entanto reivindicar o ataque que provocou 14 mortos.

O anúncio surge num momento em que a polícia investiga as ligações dos supostos autores do atentado a grupos islamitas.

No bairro em que vivia o casal, os vizinhos mostram-se inquietos:

“É uma loucura pensar que tinham tantas armas e bombas, do outro lado da rua”.

Outro residente afirma, “é assustador, estamos numa comunidade calma, muito calma. Toda a gente se conhece e ninguém podia prever uma situação destas”.

O presidente Barack Obama voltou hoje a pronunciar-se sobre o caso, com menos reservas, falando de um ato terrorista, levado a cabo por um casal radicalizado.

“Sabemos que o Estado Islâmico e outros grupos terroristas encorajam pessoas, no nosso país e em todo o mundo, a levar a cabo ações violentas, por vezes como lobos solitários. E é importante que todos participem na prevenção deste tipo de ataques, do governo aos líderes religiosos, para evitar que mais pessoas sejam vítimas destas odiosas ideologias”.

A polícia descobriu várias armas e explosivos comandados à distância, na casa alugada pelo casal, assim como uma mensagem nas redes sociais, onde apoiariam as ações do grupo Estado Islâmico.

Os investigadores acreditam que o casal teria agido sozinho, utilizando-se de informação distribuída pelo EI para planear o ataque de quarta-feira.