EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

FN sai a perder, oposição conservadora ganha terreno

FN sai a perder, oposição conservadora ganha terreno
Direitos de autor 
De  Euronews com APTN, EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A derrota da Frente Nacional na segunda volta das eleições regionais francesas domina as atenções na imprensa francesa desta segunda-feira. Uma

PUBLICIDADE

A derrota da Frente Nacional na segunda volta das eleições regionais francesas domina as atenções na imprensa francesa desta segunda-feira.

Uma derrota que contrasta com os resultados obtidos na primeira volta quando o partido encabeçado por Marine Le Pen ultrapassou a fasquia dos 40%.

Os resultados finais das eleições de domingo mostram a oposição conservadora a conquistar terreno à custa do Partido Socialista. O Partido Republicano, nova designação do partido UMP, liderado pelo antigo presidente Nicolas Sarkozy, venceu em sete regiões contra o Partido Socialista, partido no poder, que conquistou cinco.

Entre os apoiantes da Frente Nacional reina a desilusão mas há quem mantenha a esperança no futuro.

“Trata-se de uma manobra política, toda a gente está contra a Frente Nacional. Estou desiludido mas a ver vamos”, afirma um parisiense.

Na segunda volta das eleições regionais, a Frente Nacional conquistou 6,8 milhões de votos, no entanto, em algumas regiões os candidatos socialistas retiraram-se da corrida dando espaço à vitória da direita conservadora.

A afluência às urnas também aumentou. Na primeira volta votaram 22,6 milhões de eleitores contra 26,2 milhões que participaram na segunda volta.

Marion Maréchal-Le Pen conseguiu o melhor resultado para a Frente Nacional no sul do país (região Provença, Alpes e Côte d’Azur).

Reagindo aos resultados, a líder do partido, Marine Le Pen, denunciou o que considera ser uma enorme campanha de insultos e calúnias dirigida ao seu partido.

A conquista pela Frente Nacional de pelo menos uma região teria sido um passo em frente significativo para Marine Le Pen que pretende concorrer à presidência em 2017.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estrasburgo: O caminho difícil da Frente Nacional

França: Desemprego penaliza governo socialista

França: Le Pen falha vitória mas triplica votos