EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Paz na Síria é uma das prioridades para a ONU

Paz na Síria é uma das prioridades para a ONU
Direitos de autor 
De  Nara Madeira com REUTERS/ONU
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou, por unanimidade, uma resolução com o objetivo de promover a paz na Síria. O documento, acordado

PUBLICIDADE

O Conselho de Segurança das Nações Unidas adotou, por unanimidade, uma resolução com o objetivo de promover a paz na Síria.

O documento, acordado pelos cinco Estados com direito de veto e aprovado pelos 15 países-membros, apela a negociações de paz formais, entre governo e forças da oposição, já no início de janeiro, e a um cessar-fogo.

A resolução pede ainda que no prazo de seis meses seja implementado um governo de transição e em dezoito meses, no total, eleições para a adoção de uma nova Constituição.

Today's resolution on #SyriaCrisis marks an important step on which we must build – #UNSG Ban Ki-moon to #UNSCpic.twitter.com/zoBgY9TegC

— UN Spokesperson (@UN_Spokesperson) diciembre 18, 2015

Mas nem tudo é motivo de consenso. Para o Secretário de Estado dos EUA Bashar al-Assad não faz parte da solução para a Síria:

“O Presidente Assad perdeu a credibilidade que lhe permitia unir o país e dar a credibilidade moral necessária para governar no futuro”, afirmou John Kerry.

Moscovo não concorda. Sergey Lavrov, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, fez questão de deixá-lo claro:

“Só o povo sírio pode definir o futuro. Esta é uma resposta clara, a uma tentativa de imposição de uma solução externa aos sírios, em questões como a que diz respeito ao seu Presidente”, referiu Lavrov.

Enquanto grupos de rebeldes, trabalharam em conjunto para o cessar-fogo, em Viena, o grupo Estado Islâmico foi, naturalmente, deixado fora desta equação, mas não foi o único. O Destino de Bashar al-Assad, ou o seu papel no processo de paz, não foi contemplado nesta resolução da ONU.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Oito suspeitos de crimes de guerra sírios detidos na Alemanha e Suécia

Israel apresenta alegadas provas de que trabalhador humanitário pertencia à Jihad Islâmica

ONU confirma a detenção de 11 funcionários no Iémen