EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

República Centro-Africana escolhe novo Presidente e parlamento em nome da estabilidade

República Centro-Africana escolhe novo Presidente e parlamento em nome da estabilidade
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na República Centro-Africana, mais de dois milhões de eleitores são chamados, esta quarta-feira, às urnas para eleger um novo Presidente e um novo

PUBLICIDADE

Na República Centro-Africana, mais de dois milhões de eleitores são chamados, esta quarta-feira, às urnas para eleger um novo Presidente e um novo Parlamento.

O escrutínio é visto como um teste à democracia no país, palco de violência inter-religiosa e dominado por um clima de insegurança.

A nação, maioritariamente cristã, atravessa um complicado processo de transição desde que o grupo rebelde Seleka, de maioria muçulmana, derrubou o presidente François Bozizé, em 2013. Confrontos entre diferentes comunidades provocaram milhares de mortos e de cerca de um milhão de deslocados.

Na corrida à Presidência estão 30 candidatos, mas o favoritismo recai, entre outros, sobre o antigo primeiro-ministro Anicet Dologuelé, da União para a Renovação Centro-Africana (URCA).

Dologuelé mede forças com outro favorito, Martin Ziguelé. O também antigo chefe de Governo apresenta-se a votos pelo Movimento de Libertação do Povo Centro-africano (MLPC).

Destaque ainda para o independente Abdoul Karim Méckassoua, várias vezes ministro do antigo chefe de Estado François Bozizé.

Os resultados só deverão ser conhecidos uma semana após a votação, pelo que é provável a realização de uma segunda volta nas eleições presidenciais, em finais de janeiro.

Ao longo da jornada eleitoral, soldados da missão das Nações Unidas na República Centro-Africana e tropas francesas no terreno colaborarão com as forças locais para garantir a segurança.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Partido que libertou a África do Sul do "apartheid" perdeu as eleições gerais 30 anos depois

Conservadores no poder vencem eleição na Croácia, mas precisam de apoios para governar

Eleições parlamentares no Irão começam com mais de 15 mil candidatos