EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Protestos contra a eleição de Hashim Thaçi como presidente do Kosovo

Protestos contra a eleição de Hashim Thaçi como presidente do Kosovo
Direitos de autor 
De  Euronews com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Apesar dos protestos crescentes em Pristina contra o governo, desde que em setembro um pacto com a Sérvia garante mais direitos à etnia sérvia no

PUBLICIDADE

Apesar dos protestos crescentes em Pristina contra o governo, desde que em setembro um pacto com a Sérvia garante mais direitos à etnia sérvia no Kosovo, Hashim Thaci foi eleito presidente.

Hashim Thaçi élu président du #Kosovo par le Parlement pic.twitter.com/bvlKFnUBUu

— iTELE (@itele) 26 février 2016

O actual ministro dos negócios estrangeiros, ex primeiro-ministro e ex líder guerrilheiro do movimento separatista com a Sérvia, em 1998 e 99, ganhou a eleição apenas à terceira ronda, entre sucessivos incidentes causados pela oposição, com lançamento de gás lacrimogéneo no Parlamento.

Présidentielle au #Kosovo : L'opposition diffuse du gaz pour empêcher le vote https://t.co/smHxJnNWgA via lematinch</a></p>&mdash; mata (net_hiti) 26 février 2016

Hashim Thaçi teve 71 votos dos deputados presentes, dos 120 existentes, depois de alguns da oposição terem sido expulsos no decorrer dos protestos.

Thaçi não é tido como uma figura unificadora. Muitos albaneses kosovares creem que a maior autonomia dada pelo acordo da semana passada aos sérvios no Kosovo pode pôr em causa a independência, declarada em 2008 e que a Sérvia não aceita.

Um pacto de demarcação de fronteira com o Montenegro também suscita muitos protestos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Kosovo mais perto de aderir ao Conselho da Europa. Decisão final tomada em maio

Censos no Kosovo abrem polémica por incluírem perguntas sobre danos de guerra

Milhares de sérvios do Kosovo protestam contra decisão de abolir o dinar