Última hora

Cerca de 19 mil pessoas vivem acorrentadas na Indonésia

Cerca de 19 mil pessoas vivem acorrentadas na Indonésia
Tamanho do texto Aa Aa

Acorrentadas em casa ou presas em instituições. É desta forma que milhares de pessoas com problemas mentais continuam a viver na Indonésia.

A prática conhecida por pasung foi oficialmente abolida em 1977, mas um relatório do Observatório dos Direitos Humanos revela agora que, afinal, nunca deixou de ser usada.

Já o governo indonésio admite que mais de 57 mil pessoas tenham sido alvo desta prática, pelo menos, uma vez na vida.

https://www.hrw.org/news/2016/03/20/indonesia-treating-mental-health-shackles

As 72 páginas do relatório relatam o que significa “viver no inferno” num país onde as doenças de foro psíquico ainda são encaradas como maldições ou feitiçaria.

https://www.hrw.org/report/2016/03/20/living-hell/abuses-against-people-psychosocial-disabilities-indonesia

O Observatório dos Direitos Humanos estima que 19 mil pessoas se encontrem a viver acorrentadas e sejam, frequentemente, sujeitas a abusos físicos.

Segundo o relatório, o recurso a esta prática não é alheio à falta de serviços públicos de apoio a este tipo de doentes.

Estas pessoas podem viver anos acorrentadas. Muitas vezes, pelas mãos das próprias famílias.

É no mesmo espaço que dormem, comem e urinam

De acordo com o relatório pelo menos 175 pessoas foram libertadas recentemente.

_ Direitos de autor 2016 reservados Andrea Star Reese para Observatório dos Direitos Humanos_

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.