EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Papa leva 12 refugiados sírios de Lesbos para o Vaticano

Papa leva 12 refugiados sírios de Lesbos para o Vaticano
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As três famílias muçulmanas que o Papa Francisco levou do campo de refugiados de Kara Tepe, na ilha de Lesbos, no avião de regresso a Itália, j�

PUBLICIDADE

As três famílias muçulmanas que o Papa Francisco levou do campo de refugiados de Kara Tepe, na ilha de Lesbos, no avião de regresso a Itália, já estão no Vaticano.

Ao todo 12 refugiados, seis dos quais menores, originários da região de Damasco e de territórios que foram ocupados pelo autoproclamado “Estado Islâmico”.

Francisco disse que compreende os medos relacionados com o fluxo de migrantes, mas apelou a “uma resposta digna” do mundo à crise dos refugiados, que considerou a pior catástrofe humanitária depois da II Guerra Mundial.

Acompanhado por Bartolomeu I, patriarca ortodoxo de Constantinopla, e por Jerónimo II, líder espiritual da Igreja ortodoxa da Grécia, o Papa visitou em Lesbos o campo de Moria, onde ficam retidos os refugiados antes de serem deportados de volta para a Turquia. “Somos todos responsáveis pelos conflitos nos vossos países origem”, disse o Papa aos refugiados.

Na viagem de regresso ao Vaticano, mostrou aos jornalistas desenhos que as crianças lhe ofereceram: “O que se vê naquele campo de refugiados faz chorar. Aquelas crianças… Trouxe comigo desenhos que me ofereceram. Vejam este: o que pedem as crianças? Querem paz.”

Refugiados não são números, são pessoas: são rostos, nomes e histórias, e assim devem ser tratados.

— Papa Francisco (@Pontifex_pt) 16 de abril de 2016

A Grécia conta atualmente cerca de 53 mil refugiados no seu território, dos quais cerca de 5 mil, retidos nas ilhas do Egeu, chegaram depois de 20 de março, data de entrada em vigor do acordo UE-Turquia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Papa Francisco condena "ataque terrorista vil" em Moscovo

Mulheres que dizem ter sido abusadas por um jesuíta outrora famoso exigem transparência ao Vaticano

Já há árvore de Natal na Praça de São Pedro, no Vaticano