Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Acionista da LSE aprovam fusão com Deutsche Börse

Acionista da LSE aprovam fusão com Deutsche Börse
Tamanho do texto Aa Aa

A quase totalidade dos acionistas da London Stock Exchange (LSE) aprovaram a fusão com a alemã Deutsche Börse. Uma operação de 27 mil milhões de dólares, o equivalente a 24 mil milhões de euros, que esteve ameaçada pelo referendo britânico.

Esta é a terceira tentativa de fusão entre as entidades de gestão das bolsas de Londres e Frankfurt.

O acordo vai criar um dos maiores grupos bolsistas do mundo, quer o “Reino Unido seja um país da UE ou um mero país europeu”, como adianta o comunicado da LSE

O presidente da London Stock Exchange, Donald Brydon, está confiante de que Bruxelas vai dar a luz verde.

O analista Robert Halver, adianta: “Há uma relação amorosa entre as bolsas de Frankfurt e Londres. Eles querem unir-se. Mas há incertezas jurídicas. Não faz sentido dar a sede a Londres. Poderiam dizer: Sim, haverá uma fusão e Frankfurt terá a sede, mas como porta de retaguarda, no caso do Reino Unido ficar na UE, pode criar-se uma segunda sede, numa espécie de sentença de Salomão. O principal é que Frankfurt se mantenha na dianteira”.

A sede principal da Holding UK TopCo ficará em Londres.

Os acionistas Deutsche Börse, que vão controlar a maioria do capital da futura entidade, têm até 12 de julho para aprovar ou não a operação.

Mas na Alemanha, a contestação tem vindo a aumentar, devido ao “Brexit”. A autoridade reguladora dos mercados é reticente sobre o controlo da Bolsa de Frankfurt a partir de um país fora da UE.

A fusão prevê uma “comissão especial” para analisar e responder aos desafios criados pela saída do Reino Unido da União Europeia, talvez dentro de dois anos.