A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Soldado americano que passou informação ao Wikileaks tentou suicidar-se

Soldado americano que passou informação ao Wikileaks tentou suicidar-se
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os advogados do soldado norte-americano preso por ter fornecido ficheiros confidenciais ao site Wikileaks confirmaram que a cliente se tentou suicidar na semana passada. Bradley Manning, que agora se chama Chelsea, qualificou-se, há um ano, para tratamentos hormonais para mudar de sexo.

Num comunicado, a equipa que defende Manning diz que o soldado vai continuar sob observação na prisão.

Chelsea Manning, então Bradley, foi condenada em 2013, a 35 anos de prisão por ter entregado documentos confidenciais ao Wikileaks, depois de vários anos a trabalhar como analista de informações secretas na guerra do Iraque.