Última hora

Última hora

Na versão russa do Festival da Eurovisão, os concorrentes cantam numa língua eslava

Na versão russa do Festival da Eurovisão, os concorrentes cantam numa língua eslava
Tamanho do texto Aa Aa

O Slavianski Bazar, na Bielorrússia, é uma versão eslava do festival Eurovisão da Canção. Para poder participar, os artistas têm de cantar pelo menos um tema numa língua eslava. A cantora italiana Eleonora Vecchio cantou em russo.

A língua russa tem sons diferentes da língua italiana. Passei imenso tempo a treinar e a ouvir as pessoas a falarem. Reescrevi a letra da canção, em função da forma como é pronunciada.

“A língua russa tem sons diferentes da língua italiana. Passei imenso tempo a treinar e a ouvir as pessoas a falarem. Reescrevi a letra da canção, em função da forma como é pronunciada. Foi divertido, mas, foi um grande desafio”, afirmou a artista italiana.

“Estou muito contente por estar aqui. O povo bielorrusso é incrível. Gostei muito de Minsk. Vitebsk é uma cidade linda. Estou muito feliz”, disse o cantor mexicano Jorge Romano, que cantou em ucraniano.

Lançado em 1991, em Vitebsk, o Slavianski Bazar tem sido uma plataforma de lançamento para várias gerações de artistas.

“O ambiente do festival é fantástico. As pessoas são muito simpáticas e partilhamos experiências”, contou Anna Timofey, cantora israelita nascida na Moldávia.

A programação do “Slavianski Bazar” inclui várias atividades culturais para promover o turismo local. Em tempos descrita como a Toledo russa, Vitebsk é conhecida por ser a cidade de origem do pintor Marc Chagall, um dos grandes nomes da arte europeia do século XX.

“A cidade transforma-se completamente durante o festival porque recebemos cerca de 150 mil visitantes, sublinhou o diretor do evento, Aleksander Petrovitch Sidorenko.

O concerto de Valery Leontiev foi um dos grandes destaques do festival. O cantor tornou-se célebre nos anos 80 durante a era soviética e continua a ter uma legião de fãs.

Alexander Rybak foi outra das estrelas convidadas para cantar em Vitebsk. Nascido na Bielorrússia, o cantor imigrou para a Noruega e venceu o Festival Eurovisão em 2009. “Os artistas bielorrussos estão cada vez melhores e mais internacionais, lideram na Europa de Leste e têm mostrado que estão prontos para uma carreira internacional”, considerou o cantor.

O momento mais esperado do festival foi a entrega do grande prémio.
Este ano, a escolha do júri recaiu sobre o bielorrusso Alexey Gross. O cantor de 26 anos interpretou “It’s my life” dos Bon Jovi. A Bielorrússia já venceu o concurso cinco vezes. A cantora italiana Eleonora Vecchio venceu o segundo prémio.

Mais sobre Cult