Síria: ONU pede um cessar-fogo imediato em Alepo

Síria: ONU pede um cessar-fogo imediato em Alepo
Direitos de autor 
De  Miguel Roque Dias com Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As Nações Unidas apelaram, esta terça-feira, às forças de Damasco e aos insurgentes para que iniciem, de imediato, um cessar-fogo na cidade de Alepo, no norte da…

PUBLICIDADE

As Nações Unidas apelaram, esta terça-feira, às forças de Damasco e aos insurgentes para que iniciem, de imediato, um cessar-fogo na cidade de Alepo, no norte da Síria.

A cidade e os arredores têm sido palco de violentos combates entre as duas fações.

Os bombardeamentos da aviação do regime e do aliado russo danificaram gravemente hospitais e as redes de água e de eletricidade da cidade.

O porta-voz das Nações Unidas, Jens Laerke, informou que “a água disponível em poços e tanques, em Alepo, não é suficiente para satisfazer as necessidades da população. A ONU teme que as consequências sejam terríveis para milhões de civis, caso as redes de eletricidade e de água não sejam reparadas de imediato.”

.UNGeneva</a> briefing: focus on <a href="https://twitter.com/hashtag/Aleppo?src=hash">#Aleppo</a>. Spokespeople describe the dire situation, no water or electricity. <a href="https://t.co/Eo3oC77XBE">pic.twitter.com/Eo3oC77XBE</a></p>&mdash; UN Geneva (UNGeneva) August 9, 2016

A ONU afirma que é necessário um verdadeiro cessar-fogo ou de pausas humanitárias semanais de 48 horas para que seja possível reabastecer as reservas de alimentos e medicamentos, que estão, segundo a Organização, “num nível perigosamente baixo”.

We are very concerned about deteriorating situation and restricted access in #Aleppo Syria https://t.co/pctCY4Locspic.twitter.com/w5tQH8xa9d

— UN Refugee Agency (@Refugees) August 9, 2016

Segundo as Nações Unidas, dois milhões de pessoas receiam ficar sitiadas e mais de 250 mil estarão “presas no leste de Alepo”, controlado pelos rebeldes.

O conflito na Síria teve início em 2011, já fez mais de 290.000 mortos. Mais de metade da população do país foi obrigada a fugir.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rebeldes sírios e forças pró-Assad preparam batalha crucial por Alepo

Embaixador iraniano na Síria promete retaliação após alegado ataque israelita destruir consulado

Ataque israelita destrói consulado iraniano em Damasco e mata alta patente militar