Última hora
This content is not available in your region

Agência Espacial Europeia faz Rosetta colidir com cometa 67P

Agência Espacial Europeia faz Rosetta colidir com cometa 67P
Tamanho do texto Aa Aa

Rosetta, a sonda espacial ou a crónica de uma morte anunciada depois de uma vida muito produtiva. A 30 de setembro, Rosetta despenha-se deliberadamente no cometa 67P, que investigou durante dois anos.

Os cientistas da Agência Espacial Europeia (ESA) declaram que o fim é inevitável. A 600 milhões de quilómetros do sol e alimentada à energia solar que agora lhe falha, o brilho da estrela científica permanecerá na informação recolhida e no espaço.

Matt Taylor, director de projecto da ESA, explica: “Decidimos acabar a missão agora para usar a sonda enquanto ainda atinge a sua capacidade máxima. Posso fazer a analogia com uma banda de rock dos anos 60 ou 70: sabemos que há algumas que ainda fazem espectáculos e já não conseguem cantar, o reumatismo pode impedi-los de tocar bem os instrumentos, portanto queremos fazer isto com a estrela de rock que é a Rosetta, terminar enquanto está no máximo da capacidade.”

A missão de Rosetta começou em 2004. Percorreu 6 mil e 400 milhões de quilómetros até chegar ao cometa em 2014. Recolheu mais de 100 mil imagens e fez até a proeza de aterrar o robot Philae na superfície do cometa.

Os dados que recolheu serão estudados durante décadas, dizem os cientistas, uma vez que a informação científica obtida através de Rosetta não teve precedentes.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.