Última hora

Última hora

Proibida de cantar no Irão, Parissa dá concerto raro em Londres

Proibida de cantar no Irão, Parissa dá concerto raro em Londres
Tamanho do texto Aa Aa

O público londrino teve, recentemente, a oportunidade de ouvir a voz de Parissa, a superestrela da música clássica iraniana. Depois de um início de carreira fulgurante, a cantora foi obrigada a abandonar a sua paixão após a revolução islâmica de 1979 que impôs às mulheres a proibição de cantar em público.

As mulheres no Irão só podem cantar para um público feminino. Eu não quis fazê-lo porque não acredito que uma cantora só possa cantar para mulheres. Este tipo de música não tem a ver com o género feminino ou masculino. Esta música fala de espiritualidade.

“As mulheres no Irão só podem cantar para um público feminino. Eu não quis fazê-lo porque não acredito que uma cantora só possa cantar para mulheres. Este tipo de música não tem a ver com o género feminino ou masculino. Esta música fala de espiritualidade”, afirmou a cantora, em entrevista à euronews.

As canções da cantora iraniana inspiram-se na obra do poeta místico persa Rumi.

“A mensagem dos poemas do Rumi não é só uma moda passageira. Sete séculos depois, a mensagem dele continua a ser válida. A música clássica iraniana, que está associada à poesia clássica iraniana, tem a mesma mensagem”, comentou a cantora.

Apesar da proibição de cantar em público, Parissa permaneceu no Irão depois da revolução de 1979. Transformou a casa numa escola de canto para mulheres e pontualmente dá concertos fora do Irão.

“Apesar de Parissa ter praticamente deixado de dar concertos, os iranianos conhecem a voz dela há quarenta anos. A voz dela não mudou muito, ela continua a ser o anjo celeste da música iraniana”, afirmou o escritor Masoud Behnoud.