Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

EUA e França acusam Rússia e Síria por bombardeamento a escola em Idlib

EUA e França acusam Rússia e Síria por bombardeamento a escola em Idlib
Tamanho do texto Aa Aa

As Nações Unidas exigem “um inquérito imediato e imparcial” sobre o bombardeamento de quarta-feira a uma escola na província de Idlib, na Síria.

Segundo o porta-voz de Ban Ki Moon,este ataque, que provocou a morte a 26 civis, na sua maioria crianças, caso tenha sido deliberado, “pode equiparar-se a um crime de guerra”.

Quanto a responsabilidades, o Governo dos Estados Unidos da América reconheceu, que apesar de não ter provas, acredita que por detrás do ataque à escola de Idlib estejam os governos da Síria e da Rússia.

“Quem é o responsável? Em todo o caso não é a oposição pois são necessários aviões para se lançar bombas. Ou são os sírios, do regime de al-Assad, ou são os russos”, afirmou o ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Jean-Marc Ayrault.

Na manhã de quinta-feira, o ministério russo da Defesa negou qualquer envolvimento no ataque.

O representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, condenou os ataques a civis.

Idlib situa-se perto de Alepo, no noroeste da Síria. Esta região densamente povoada é controlada pela oposição ao regime de Bashar al-Assad e é alvo de constantes ataques aéreos tanto sírios como da Rússia.