Última hora

Última hora

Bruxelas propõe mudar teto que limita uso do gasoduto Opal

Em leitura:

Bruxelas propõe mudar teto que limita uso do gasoduto Opal

Bruxelas propõe mudar teto que limita uso do gasoduto Opal
Tamanho do texto Aa Aa

Apesar das fortes tensões políticas entre a União Europeia (UE) e a Rússia, o executivo de Bruxelas tenta apaziguar o diferendo sobre o fornecimento de gás.

A Comissão Europeia decidiu, esta sexta-feira, propor a eliminação do teto que limita a capacidade da Rússia no uso do gasoduto Opal, que fornece gás a países da UE via Alemanha e República Checa.

Mas nem todos os Estados-membros concordam com esta estratégia.

O especialista em energia Christian Egenhofer diz que “alguns Estados-membros, especialmente no Leste, mas não todos, preferem usar a energia como ferramenta para punir a Rússia”.

“Mas outros, como por exemplo a Alemanha, têm um relacionamento energético de longa data e preferem usar a energia como uma das ferramentas para voltar às boas relações com a Rússia”, acrescentou.

Em nome da livre concorrência que permita o acesso a outros operadores, a Comissão Europeia apenas permite que a Rússia use metade da capacidade do gasoduto.

Agora propõe que 10% a 20% sejam alocados exclusivamente a terceiros, podendo a Rússia licitar para obter a quota livre de 30% a 40%.

Apesar da Ucrânia perder relevância enquanto país de trânsito para fornecimento de gás, o analista diz que “não é uma coisa muito má por si só haver um pouco mais de concorrência no trânsito ucraniano, porque certamente aumentará a eficiência e, ainda mais importante, a transparência do sistema de fornecimento de gás ucraniano”.

Os Estados-membros que se opõem à alteração, alegam que a Ucrânia vai perder milhares de milhões de euros em taxas de trânsito do gás para a Europa, enfraquecendo sua capacidade de reforma económica.