EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Moldávia escolhe novo presidente este domingo

Moldávia escolhe novo presidente este domingo
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A última vez que um presidente da Moldávia foi eleito por sufrágio universal direto foi há 20 anos.

PUBLICIDADE

A última vez que um presidente da Moldávia foi eleito por sufrágio universal direto foi há 20 anos. A eleição deste domingo ocorre na sequência da decisão do tribunal constitucional, que, em Março, obrigou à realização do sufrágio nesta antiga república soviética, independente desde 1991.

Dado como favorito nas sondagens para a primeira volta da eleição, o candidato pró-russo e antigo ministro da Economia num governo comunista, Igor Dodon, promete uma parceria estratégica com a Rússia e a anulação das cláusulas económicas do acordo de associação com a União Europeia, assinado pelo país em 2014.

Em segundo lugar nas sondagens, Maia Sandu, candidata da oposição, de centro-direita, promete, por seu turno, uma “Moldávia europeia”. Esta ex-ministra da Educação, que trabalhou no Banco Mundial, defende que o governo de Chisinau terá que convencer os moldavos e os parceiros europeus da “sua sinceridade” antes de prôpor uma data para a adesão do país ao clube europeu.

Situada entre a Roménia e a Ucrânia, a Moldávia é um dos países mais pobres da Europa. Segundo o Banco Mundial, 41% da população vive com menos de 5 euros por dia.

Mergulhados numa situação de pobreza desde a independência, os moldavos estão profundamente revoltados contra a classe política desde que em 2015 foi descoberta uma gigantesca fraude bancária de cerca de mil milhões de euros – o equivalente a 1/8 do PIB nacional. O escândalo afeta diretamente os dois anteriores governos pró europeus, responsáveis pelo desaparecimento do crédito atribuído aos bancos. Neste país minado pela corrupção, não é fácil para os eleitores a escolha entre o Leste e o Ocidente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Governo moldavo chama embaixador russo por causa de urnas na Transnístria

Separatistas da Transnístria pedem a Moscovo "proteção" contra a pressão da Moldova

Os jovens moldavos e o futuro na UE