Alemanha: Autoridades libertam tunisino que era suspeito de ter ligações a Anis Amri

Alemanha: Autoridades libertam tunisino que era suspeito de ter ligações a Anis Amri
De  Miguel Roque Dias com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As autoridades alemãs libertaram, esta quinta-feira, o tunisino de 40 anos, detido no dia anterior, por suspeita de ter ligações com Anis Amri, o alegado autor do atentado com um camião num mercado de

PUBLICIDADE

As autoridades alemãs libertaram, esta quinta-feira, o tunisino de 40 anos, detido no dia anterior, por suspeita de ter ligações com Anis Amri, o alegado autor do atentado com um camião num mercado de Natal, em Berlim.

A porta-voz do Ministério Público de Berlim, Frauke Koehler, anunciou que o homem tinha sido detido “porque se suspeitava que Anis Amri ter-lhe-ia enviado uma mensagem de voz e uma fotografia, pouco antes do ataque. Investigações posteriores mostraram que a pessoa detida não era a pessoa que Anis Amri terá contactado”.

BREAKING: Germany to release Tunisian detained in connection with Berlin truck attack – spokeswoman for federal prosecutor

— Reuters Top News (@Reuters) December 29, 2016

De acordo com um jornal alemão, o número de mortes do ataque de 19 de dezembro teria sido mais elevado caso o camião utilizado fosse outro.

O veículo em causa estaria equipado com um sistema automático de travões de emergência que terá sido acionado, à revelia de Anis Amri.

O Ministério Público germânico informou, ainda que, segundo as investigações, Amri passou pela Holanda e por França, antes de chegar a Itália.

O tunisino, que no dia a seguir ao atentado jurou lealdade ao Daesh, foi abatido a tiro por uma patrulha da Polícia de Milão, durante uma operação de controlo, de rotina.

No dia 19 de dezembro, Anis Amri lançou, alegadamente, um camião contra um mercado de natal em Berlim.

12 pessoas morreram e 48 ficaram feridas.

Com: Reuters

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

501 caixões e 200 sacos com cadáveres encontrados abandonados na Argentina

Autoridades francesas investigam salário do presidente do comité dos Jogos Olímpicos de Paris

Operação Pretoriano: Líder dos Super Dragões e dois funcionários do FC Porto detidos