This content is not available in your region

Japão vai receber 300 refugiados sírios

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Japão vai receber 300 refugiados sírios

Nos próximos cinco anos, o governo do Japão vai receber cerca de 300 refugiados sírios. Este programa de acolhimento destina-se a estudantes e respectivas famílias. Os estudantes vão poder trazer os filhos e mulher e vão receber um subsídio de subsistência para todos. Além disso, quando terminarem a carreira académica, os refugiados não vão ser obrigados a voltar para o país de origem e podem optar por estabelecer-se no Japão.

Esta não é a primeira vez que as autoridades nipónicas realizam programas de acolhimento de refugiados de países específicos. Entre a segunda metade de 1970 e 2005, mais de 10 mil indonésios foram aceites no território japonês e, desde 2010, mais de 100 refugiados de Myanmar foram acolhidos no país.

O governo avança com este programa em cooperação técnica com a JICA, Agência de Cooperação Internacional do Japão, e aceitará 20 estudantes estrangeiros por ano. Os primeiros devem chegar já este verão.

Os números não são muito expressivos e surgem depois do governo nipónico ter sido muito criticado por ter negado asilo a quase todos os refugiados que o pediram. De acordo com dados do próprio executivo de Tóqui, em 2015 foram recusados 99% dos pedidos: de um total de 7586, apenas 27 foram acolhidos. Em 2014 o cenário não foi muito diferente: apenas 11 refugiados conseguiram ficar no Japão, sendo que deram entrada mais de 5 mil pedidos.

Os grupos de defesa dos Direitos Humanos e as agências internacionais questionaram estas políticas de asilo muito restritas e a resposta do primeiro-ministro japonês foi perentória: “deve dar-se prioridade ao bem estar dos japoneses, em relação aos cidadãos de outras nacionalidades”, garantiu Shinzo Abe.