Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Kfrat Heinz retira oferta de compra e Unilever afunda na bolsa

Kfrat Heinz retira oferta de compra e Unilever afunda na bolsa
Tamanho do texto Aa Aa

A Unilever afunda na bolsa, depois da Kraft Heinz ter retirado a proposta de compra de 143 mil milhões de dólares, o equivalente a 135 mil milhões de euros.

Na sexta-feira, a oferta surpresa fez disparar os títulos de ambas as empresas. Com a expectativa de uma subida da oferta, as ações Unilever subiram 13%. Mas esta segunda-feira, a meio do dia afundavam cerca de 8%.

A proposta da Kraft Heinz foi rejeitada pelo grupo britânico-holandês, que estima que a oferta era baixa e não lhe trazia benefícios estratégicos. Além disso, o executivo holandês disse que iria analisar com atenção a fusão e o governo britânico mostrou-se preocupado com a notícia.

Analista de mercados no London Capital Group, Jasper Lawler explica porquê: “A política foi certamente uma das razões. Alguns ministros britânicos manifestaram-se publicamente contra. Há uma desconfiança em relação à Kraft no Reino Unido. Há uns anos, a empresa comprou a Cadbury. Prometeu manter os empregos no Reino Unido mas quebrou abruptamente a promessa pouco depois do negócio.”

O gabinete da primeira-ministra Theresa May garante que não se envolveu no caso. Mas, em 2010, May foi uma das vozes críticas à aquisição da Cadbury pela Kfrat.

Nos últimos anos, a norte-americana Kfrat Heinz, cujo capital é detido por Waren Buffet e pelos brasileiros da 3G, tem multiplicado as aquisições, aplicando de seguida reduções de custos e de pessoal.

Se tivesse sido aceite, a fusão da Unilever com a Kraft Heinz iria criar um dos maiores grupos mundiais, com marcas que vão dos cosméticos à alimentação.