Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Holanda impede ministro turco de aterrar no país e realizar comício político

Holanda impede ministro turco de aterrar no país e realizar comício político
Tamanho do texto Aa Aa

A Holanda decidiu suspender a autorização para o ministro turco dos Negócios Estrangeiros, Mevlet Cavusoglu, aterrar no país e realizar este sábado um comício político em Roterdão.

O impedimento surge depois de as autoridades locais de Roterdão terem proibido a realização do comício de Cavusoglu, por alegados motivos de segurança.

O chefe da diplomacia de Ancara anda em digressão pela Europa, a tentar promover junto da diáspora de eleitores turcos o voto a favor do Presidente Recep Tayyp Erdogan e pretendia voar desde Moscovo, onde esteve sexta-feira com o chefe de Estado de visita ao Kremlin, para Roterdão.

Chefe de Estado há mais de dois anos e meio, o antigo primeiro-ministro pretende recuperar os poderes executivos no país, algo fora do âmbito das presentes funções do Presidente pela Constituição turca, motivo pelo qual Erdogan pretende alterar a lei. Os milhares de eleitores na diáspora podem fazer a diferença.

O executivo turco tem sentido muita resistência por parte, em especial na Alemanha, na Áustria, na Suíça e na Holanda, na promoção da posição do Presidente Erdogan no referendo junto da diáspora turca. Em Hamburgo, Cavusoglu teve de falar aos compatriotas no consulado turco daquela cidade germânica.

O ministro turco dos Negócios Estrangeiros ameaçou a União Euroepia que, caso o impedimento da Holanda se confirmasse, as negociações e acordos bilaterais em curso, incluindo o plano de gestão da crise de refugiados,iriam ficar em risco.

Referindo-se diretamente à Holanda, Cavusoglu ameaçou com fortes sanções políticas e económicas.

O primeiro-ministro holandês respondeu com um comunicado afirmando que estas ameaças turcas tornaram “impossível encontrar uma solução razoável” para o problema e, por isso, não tinha alternativa a não ser visto de desembarque na Holanda ao ministro turco.

Na Alemanha, o bloqueio dos comícios turcos levou mesmo o Presidente da Turquia a comparar a atitude do executivo de Angela Merkel a práticas nazis.

Reveja a peça de sete de março, sobre o comício de Cavusoglu em Hamburgo