EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Budapeste: Manifestação contra projeto-lei que dificulta a atividade de organizações com financiamento estrangeiro

Budapeste: Manifestação contra projeto-lei que dificulta a atividade de organizações com financiamento estrangeiro
Direitos de autor 
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Participantes no protesto acusam o governo de pretender discriminar as ONG financiadas a partir do estrangeiro

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas protestaram este sábado no centro de Bucareste contra o projeto de lei que pretende obrigar as organizações não governamentais a registar-se como “organizações financiadas a partir do estrangeiro” caso recebam mais de 23 mil euros por ano provenientes de outros países.

O governo defende que se trata de exigir transparência, enquanto os opositores da lei acusam o primeiro-ministro Viktor Orban de atacar a sociedade civil.

“Isto afeta toda a gente no país. Eles não podem cuspir assim sobre tudo”, disse à nossa correspondente uma das manifestantes.

“O que está a acontecer na Hungria não é… ou seja – até certo ponto é democrático, mas quando observamos toda a propaganda no metro e nos autocarros não é inteligente, é um erro. E manipula os eleitores e o povo, é algo que deve ser parado”, disse um jovem que participou no protesto.

Esta foi a mais recente de uma série de protestos que começaram após a aprovação pelo parlamento de uma lei que dificulta a atividade da Universidade Centro Europeia, fundada pelo multimilionário americano de origem húngara George Soros.

Os organizadores do evento escolheram o lema ‘Não ficaremos em silêncio’ e convocaram as pessoas a tornar esta manifestação a mais ruidosa de sempre na Hungria.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Viktor Orban compara adesão da Hungria à UE à ocupação soviética

Chanceler austríaco saúda Sunak pelo plano de deportação para o Ruanda

Novo presidente de Taiwan diz que objetivos de anexação da China "não vão simplesmente desaparecer"