EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Guterres em Kampala para Cimeira de Solidariedade com os Refugiados

Guterres em Kampala para Cimeira de Solidariedade com os Refugiados
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O secretário-geral das Nações Unidas pediu ajuda da parte da Comunidade Internacional ao Ruanda, que acolhe mais de um milhão de refugiados.

PUBLICIDADE

Com Lusa

As Nações Unidas alertam para o facto de que o continente africano vive o maior êxodo desde o genocídio no Ruanda, há 23 anos, e pedem à Comunidade Internacional que reúna esforços para acabar com o conflito no Sudão do Sul.

António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, lamentou a situação na região, durante a abertura da Cimeira de Solidariedade com os Refugiados, que se reraliza em Kampala, capital do Uganda, depois de ter visitado alguns campos de refugiados que acolhem milhares de sul-sudaneses.

Guterres recordou que visitou a mesma zona após a independência do Sudão do Sul em 2011, quando os refugiados se mostravam esperançados com o futuro do seu “novo país”.

No entanto, o secretário-geral da ONU lamentou que a situação tenha piorado desde que estalou a violência em dezembro de 2013, já que desde então mais 1,8 milhões de pessoas fugiram para os países vizinhos.

While others put up barriers to keep refugees out, Uganda is welcoming record numbers with compassion and empathy. #UGSolidaritypic.twitter.com/MXXPWBGROP

— António Guterres (@antonioguterres) 23 juin 2017

“Temos de juntar esforços para acabar com a guerra no Sudão do Sul e criar as condições necessárias para que o país esteja unido, estável e em paz”, salientou, Guterres, que elogiou as políticas realizadas no Uganda, cuja população de refugiados passou no último ano de 500.000 para mais de 1,25 milhões de pessoas. Segundo o secretário-geral da ONU, no Uganda os refugiados vivem com dignidade porque têm acesso a educação e saúde, como o resto dos cidadãos.

A ONU espera que este encontro ao mais alto nível permita mobilizar 2.000 milhões de dólares para atender às necessidades humanitárias dos refugiados e apoiar as comunidades locais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

ONU confirma a detenção de 11 funcionários no Iémen

Rebeldes Houthi detêm pelo menos 9 membros da ONU, dizem as autoridades

Prosseguem os combates em Gaza apesar da decisão do TIJ que obriga Israel a pôr termo à ofensiva em Rafah