EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Trump está dececionado com a China e explica porquê no Twitter

Trump está dececionado com a China e explica porquê no Twitter
Direitos de autor 
De  Antonio Oliveira E Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente diz que foi permitido que Pequim lucrasse com comércio com os Estados Unidos e que nada receberam em troca.

PUBLICIDADE

Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos, diz que a China não está a pressionar Pyongyang e que está dececionado com Pequim no que ao programa nuclear da Coreia do Norte diz respeito.

Trump criticou antigos chefes de estado norte-americanos porque estes teriam deixado que a China lucrasse milhões e milhões de dólares em comércio com os Estados Unidos, enquanto Pequim “nunca fez nada por Wasghinton”.

I am very disappointed in China. Our foolish past leaders have allowed them to make hundreds of billions of dollars a year in trade, yet…

— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) 29 de julho de 2017

O presidente dos EUA avisou, por outro lado, que **“a situação iria mudar.”**A posição do presidente Trump, dada a conhecer na rede social Twitter, surge depois do segundo teste com um míssil balístico intercontinental da parte da Coreia do Norte.

…they do NOTHING for us with North Korea, just talk. We will no longer allow this to continue. China could easily solve this problem!

— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) 29 de julho de 2017

A Coreia do Norte diz que o sucesso de mais um lançamento constitui um aviso sério a Washington, já que o Hwasong 14 poderia chegar à cidade californiana de Los Angeles. Um primeiro teste com o mesmo tipo de míssil foi levado a cabo no início do mês.

Proposta chinesa

A China propôs à Coreia do Norte um congelamento dos programas de mísseis balísticos e de armas nucleares no início deste ano.

Em troca, a Coreia do Sul e os Estados Unidos fariam uma pausa nos exercícios militares conjuntos, que os norte-coreanos encaram como uma ameaça.

Mas Pyongyang decidiu continuar com os testes, para preocupação da Coreia do Sul e do Japão, que falam numa ameaça direta.

Pequim é visto na região como o único aliado da Coreia do Norte, mantendo boas relações comerciais com Pyongyang, para desagrado dos Estados Unidos.

Washington deseja que a China impeça o acesso da parte da Coreia do Norte a moeda estrangeira, de forma a isolar de forma mais eficaz a economia do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"

Homem imolou-se no exterior do tribunal onde Donald Trump está a ser julgado