EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Suíça vai implementar um salário mínimo pela primeira vez

Suíça vai implementar um salário mínimo pela primeira vez
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Quando entrar em vigor, os trabalhadores deste Cantão passam a auferir 20 francos suíços, por hora de trabalho, o equivalente a pouco mais de 17 euros.

PUBLICIDADE

A Suíça prepara-se para implementar um salário mínimo, pela primeira vez na sua história.

O Cantão de Neuchatel será o primeiro a adotar a medida depois do Tribunal Federal suíço ter dado a permissão, na semana passada.

A decisão judicial defende que a medida, ainda sem data para entrar em vigor, vai permitir com que todos os trabalhadores ganhem o mínimo para sobreviver.

Nas ruas, uma cidadã suíça diz estar muito contente e espera que os outros 26 cantões sigam o exemplo pois há muitas pessoas pobres. A mulher refere que “não é normal que uma pessoa que trabalhe a tempo inteiro não ganhe o suficiente para viver.”

Quando entrar em vigor, os trabalhadores deste Cantão passam a auferir 20 francos suíços, por hora de trabalho, o equivalente a pouco mais de 17 euros.

Neuchâtel to become first Swiss canton to introduce minimum wage https://t.co/y6avQnVliypic.twitter.com/9JpLlkyBlu

— The Local (@TheLocalSwitzer) August 7, 2017

Um taxista afirma que isso “é o ideal”, que esperava por isso há muito e espera que se concretize.

Várias organizações económicas e entidades patronais lutaram contra a implementação da medida, nos tribunais, durante seis anos.

Um empresário, do setor, afirma que isto vai fazer com que alguns dos taxistas tenham que voltar a trabalhar por conta própria e, assim sendo, “não têm garantido nenhum salário.”

A decisão do tribunal abre portas para que haja uma massificação de um salário mínimo no país.

Os cantões de Jura e Tissino tentam introduzir na sua legislação uma medida semelhante.

Mas nem todos estão de acordo. Os cantões de Genebra, Vlaud e Valais já recusaram, por referendo, a implementação de uma lei de salário mínimo, em 2014.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Suíça reconhece os direitos de autodefesa de Israel

Direita populista reforça o domínio no Parlamento da Suíça

Que futuro para oito mil milhões de pessoas