Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Terceiro dia dos mundiais de Judo em Budapeste

Terceiro dia dos mundiais de Judo em Budapeste
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Mongólia contra o gigante japonês. Foi assim a final da categoria feminina de -57 kg no terceiro dia dos campeonatos mundiais, em Budapeste.

Foi uma luta espetacular entre as duas judocas. Nove minutos de ponto de ouro, numa luta de 13 minutos, com direito a um brilhante waza-ari, por Dorjsuren, frente ao seu presidente, Khaltmaa Battulga.

A Judoca da Mongólia não só obteve a primeira medalha de ouro para o seu país, como conseguiu travar a imparável equipa do Japão. A mesma categoria que valeu à portuguesa Telma Monteiro o quinto lugar:

“Sim, consegui! O presidente da Federação de Judo da Mongólia tornou-se presidente do país. Queria ganhar esta medalha de ouro como presente, para ele. E foi isso que fiz”, referiu a judoca mongol.

Mas o Japão recuperou. Numa espécie de “remake” da final feminina, o número um do mundo e imperturbável, Soichi Hashimoto, defrontou o número 2 mundial, Rustam Orujov, do Azerbaijão, na última luta masculina do dia, a final da categoria de -73kg.

Outra grande luta mas desta vez o japonês não falhou. Ao vencer novamente, e depois de 3 dias de competição, podemos dizer que, em termos globais, ganha o Japão, por cinco, contra um para o Resto do Mundo:

“Sofri uma pequena lesão, duas ou três semanas antes dos campeonatos mundiais e, por isso, não consegui treinar. Então, visualizei o que precisava de fazer para vencer. Como resultado, obtive a medalha de ouro e é isso que importa”, adiantou Hashimoto.

O convidado de hoje é outra lenda, mas não do judo. O cubano Alberto Juantorena ganhou a medalha de ouro nos 400 e 800m, em 1976, nos Jogos Olímpicos de Montreal. Uma performance única que ninguém conseguiu ainda igualar:

“Há algo que eu admiro no Judo. A disciplina, a atitude marcial para alcançar a perfeição. O que o Judo acrescenta à sociedade, às crianças e jovens é educação. Ensina e educa. Os judocas são respeitadores, agradáveis, apertam as mãos depois de uma luta. Isso não tem preço no Judo, no Atletismo e na vida em geral”, explicou o antigo atleta espanhol.

Momento do Dia

Na quarta ronda, Lasha Shavdatuashvili, campeão olímpico de Londres, fez um espetacular ippon contra o eslovaco Martin Hojak. Um movimento digno de nota, o momento do dia.