EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Governo catalão nega ter recebido alerta da CIA

Governo catalão nega ter recebido alerta da CIA
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O jornal catalão "El Periódico", noticiou que o aviso da Agência norte-americana teria chegado às mãos dos Mossos d'Esquadra a 25 de maio e que teria sido ignorado.

PUBLICIDADE

As autoridades da Catalunha negam ter recebido qualquer alerta da CIA sobre a possibilidade de o grupo Estado Islâmico estar a planear um atentado na região.

We categorically deny the false information published by El Periódico claiming that the CIA</a> had warned <a href="https://twitter.com/mossos">mossos of an attack in Las Ramblas

— Catalan Government (@catalangov) August 31, 2017

O jornal catalão “El Periódico”, noticiou que o aviso da Agência norte-americana teria chegado às mãos dos Mossos d’Esquadra a 25 de maio e que teria sido ignorado.

Texto íntegro de la alerta de atentado en #Barcelona de la CIA a los Mossos https://t.co/3XXF30YFsW

— El Periódico (@elperiodico) August 31, 2017

O Governo da Catalunha afirmou que a polícia local não foi contactada pela CIA. O ministro do Interior, Joaquim Forn, assegura que receberam avisos de outras fontes menos credíveis.

“O aviso de um possível ataque durante o verão em lugares como “Las Ramblas” chegou-nos de outras fontes e foi tratado da mesma maneira como as outras dezenas de avisos e alertas que recebemos. São sempre verificados e avaliados e, neste caso particular, o aviso que recebemos tinha pouca credibilidade “.

Los tres desmentidos del Govern y los Mossos sobre el aviso de la CIA: solo se relacionan con “otras policías” https://t.co/GwgMnVSi9u

— El Periódico (@elperiodico) August 31, 2017

No dia 17 de agosto, um jovem invadiu a “Rambla”, com uma carrinha, quinze pessoas morreram e mais de 120 ficaram feridas.

Mais tarde, a polícia descobriu que o homem pertencia a uma célula jihadista formada por doze pessoas.

Seis foram abatidas pelas autoridades, duas morreram numa explosão numa casa onde preparavam o atentado e quatro foram detidas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha: Sánchez quer que a comunidade internacional "exerça mais pressão" sobre Israel

O Supremo Tribunal mantém o mandado de captura de Puigdemont após a publicação da lei da amnistia

Ilha de Menorca: aldeia de Binibeca Vell com horário restrito de visitas durante o verão