Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Executivo de Juan Manuel Santos e guerrilheiros do ELN chegam a acordo

Executivo de Juan Manuel Santos e guerrilheiros do ELN chegam a acordo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional anunciaram esta segunda-feira que chegaram a um acordo com o Governo colombiano. Foi definido um cessar-fogo bilateral.

O anuncio foi feito depois da terceira ronda de conversações na capital equatoriana, Quito
Segundo Juan Manuel Santos, presidente colombiano, o cessar-fogo entra em vigor dia um de outubro e será válido durante pouco mais de três meses.




O Governo da Colômbia exigiu aos guerrilheiros o fim imediato de qualquer tipo de violencia sobre as populações.

Numa primeira fase, o acordo vigora até 12 de janeiro e poderá, depois, ser prolongado, à medida que as negociações de paz avançarem, precisou.

FARC criam novo partido político

No ano passado, o Governo alcançou um acordo de paz com o principal grupo de guerrilha do país, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Os esforços empreendidos por Juan Manuel Santos para pôr fim a um conflito com mais de 50 anos valeram-lhe o prémio Nobel da Paz em 2016.

Visita do Papa à Colômbia

O Papa Francisco inicia na quarta-feira uma viagem à Colômbia, durante a qual fará um apelo para que o país consiga uma “verdadeira reconciliação”.

A visita do papa ao terceiro país mais populoso da América Latina (48 milhões de habitantes) surge depois de várias notícias nesse sentido.

Francisco disse sempre que não se deslocaria à Colômbia até que houvesse uma garantia de paz.
A 16 de dezembro, o Vaticano acolheu e organizou uma reunião inédita entre o Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e o líder da oposição, o antigo presidente Álvaro Uribe.

Na ocasião, Francisco apelou ao “diálogo sincero” perante o “momento histórico” que vive a Colômbia.

Apesar do contexto, o Vaticano reitera que a visita de Francisco à Colômbia não tem conotações políticas.

Com agências