EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Daphne Galizia sem proteção policial há sete anos

Daphne Galizia sem proteção policial há sete anos
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

FBI norte-americano deverá liderar a investigação.

PUBLICIDADE

A polícia maltesa teria retirado a proteção permanente a Daphne Galizia há sete anos apesar das ameaças de morte de que era alvo.

A informação, avançada pelo jornal Malta Today , surge num momento em que prossegue a investigação ao assassínio da jornalista de investigação que tinha denunciado vários escândalos de corrupção no atual governo.

O presidente do parlamento europeu, Antonio Tajani, condenou hoje o assassínio, tendo convidado a família da jornalista, que acusou o governo de cumplicidade, a assistir à sessão plenária da próxima semana.

Daphne Caruana Galizia was killed for seeking the truth. I invited her family to the EP plenary next week to join us in paying respect

— EP President Tajani (@EP_President) October 18, 2017

Nos Estados Unidos, a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, evocou um “ataque cobarde”.

“Nós respondemos rapidamente ao pedido de assistência do primeiro-ministro e do governo de Malta, a polícia maltesa está em contacto com o FBI que está a fornecer assistência específica como foi pedido. Apelamos a uma investigação rápida, transparente e independente às circunstâncias por detrás da morte da Sra. Galizia.

Para lá do FBI e da polícia holandesa, a Scotland Yard britânica também se juntou à investigação às duas deflagrações, aparentemente provocadas por um explosivo de tipo militar, que vitimaram a jornalista de investigação, quando conduzia um carro de aluguer, na segunda-feira.

As equipas do FBI só deverão chegar ao terreno na quinta-feira, segundo algumas fontes, para assumir as rédeas do inquérito.

#DaphneCaruanaGalizia wreath laying in Valletta. Take your flowers to honour the journalist who was murdered in #Maltapic.twitter.com/o74ZUMzsAy

— CivilSocietyNetwork (@ActivistsMalta) October 18, 2017

Junto ao tribunal de La Valetta, as homenagens sucedem-se, quando os jornalistas malteses realizam amanhã um protesto silencioso para pedir que seja feita justiça.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Projeto Daphne, seis meses depois da morte da jornalista

Pelo menos dois guardas prisionais mortos em ataque a carrinha celular em França

Polónia detém suspeito de ajudar a planear homicídio de Zelenskyy