EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

CDS apresenta moção de censura ao Governo

CDS apresenta moção de censura ao Governo
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O CDS assegura que esta moção de censura "dá voz à indignação de muitos portugueses que se sentem abandonados e perderam a confiança no Governo.

PUBLICIDADE

O CDS apresentou, esta quinta-feira uma moção de censura ao Governo de António Costa, confirmando o anúncio feito por Assunção Cristas, na terça-feira. A medida baseia-se nas falhas do Executivo e na falta de assunção de responsabilidades políticas por parte do primeiro-ministro, após os incêndios de Pedrógão Grande, que fez 64 morto, e do último fim de semana, onde morreram 43 pessoas, segundo o último balanço da Proteção Civil.

No texto apresentado, o CDS assegura que esta moção de censura “dá voz à indignação de muitos portugueses que se sentem abandonados e perderam a confiança no Governo.

Depois do consenso dos líderes parlamentares, a Assembleia da República agendou o debate da moção de censura ao Governo para a próxima terça-feira.

Nuno Magalhães, o líder parlamentar do CDS, desafiou a esquerda a avaliar “se houve ou não falhas graves” do Estado nos incêndios.

AR/Censura: “Governo falhou e voltou a falhar” na proteção da vida nos incêndios >> https://t.co/9FDbIShJ7h

— CDS PP (@_CDSPP) October 19, 2017

O chumbo parece estar garantido. Os líderes da bancada do PCP, João Oliveira, e de “Os Verdes”, Heloísa Apolónia, assumiram já o voto contra a moção e acusam os centristas de aproveitamento político.

A moção de censura surge depois da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, ter apresentado demissão, sendo substituída por Eduardo Cabrita.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Processo de António Costa desce do Supremo para o DCIAP

Operação Influencer. Alegações do MP consideradas “vagas” mas há risco de decisões contraditórias

Publicidade do IKEA alude a dinheiro escondido no escritório do ex-chefe de gabinete de Costa