Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Hidrogénio é o combustível ecológico do futuro

Hidrogénio é o combustível ecológico do futuro
Tamanho do texto Aa Aa

Será que o hidrogénio se vai tornar no combustível verde do futuro? A investigação evolui rapidamente. Substituir a gasolina e o gasóleo por hidrogénio é uma das soluções para reduzir as emissões de CO2 na estradas. Um projeto europeu de investigação está em pleno andamento para incentivar o desenvolvimento desta tecnologia.

Atualmente, existem apenas algumas centenas de veículos a hidrogénio na Europa. A Dinamarca está a abrir caminho e é o primeiro país com uma rede nacional de estações de abastecimento – existem 10 estações de hidrogénio estrategicamente colocadas em todo o país.

O objetivo do projeto é criar, dentro de dois anos, aproximadamente cinquenta estações de abastecimento de hidrogénio na Europa. O número de veículos em circulação também deve duplicar. Os automóveis a hidrogénio possuem determinadas vantagens: “a condução é muito suave, o motor não faz ruído. As vantagens é que é possível manter os padrões do motor de combustão de um carro normal. O depósito demora entre 3 a 6 minutos a encher e tem uma autonomia de 4 até 600 kms”, diz Tejs Laustsen Jensen, diretor executivo da Hydrogen Denmark.

Um dos desafios é produzir hidrogénio ecológico, a partir de fontes renováveis. A tecnologia já existe, como em Sheffield, no Reino Unido. Segundo Ben Madden, coordenador do projeto H2ME: “a maior parte do hidrogénio que temos hoje provém de combustíveis fósseis, mas quando pensamos em utilizar hidrogénio na mobilidade e nos transportes, as fontes de produção devem ser ecológicas. É possível ligando um cabo diretamente a partir da fonte de produção e depois ao veículo.”

A pesquisa está bem encaminhada para melhorar a eficiência dos dispositivos que separam a água em dois elementos: hidrogénio de um lado e oxigénio do outro. O hidrogénio é então purificado e pode ser armazenado no local. Segundo Charles Purkless da ITM Power: “é possível produzir hidrogénio quando há um excedente de eletricidade, quando o custo é menor e quando é mais “verde”. É possível fazê-lo em qualquer lugar, por exemplo na estação de abastecimento. Para além disso, o armazenamento de hidrogénio evita a necessidade do transporte do combustível.”

O desafio também está relacionado com os custos – que são mais elevados do que os veículos e do que os combustíveis convencionais. “Esperamos que por volta de 2025, os custos de ter e abastecer um veículo a hidrogénio sejam equivalentes a um veículo a gasolina ou a diesel hoje em dia – é esse o objetivo”, explica Ben Madden.

“O futuro veículo será uma mistura entre bateria e hidrogénio e já existem híbridos na estrada, etc… Creio que vamos ver todas as soluções, mas primeiro é preciso competir contra as tecnologias fósseis”, conclui Tejs Laustsen Jensen.

A ideia é que daqui dez anos existam centenas de milhares de automóveis a hidrogénio nas estradas europeias.

Mais info: www.h2me.eu