Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ronda negocial do Brexit em ritmo de contra-relógio

Ronda negocial do Brexit em ritmo de contra-relógio
Tamanho do texto Aa Aa

A sexta ronda negocial sobre o Brexit começou, quinta-feira, em Bruxelas, envolta no receio de que poderá não haver tempo para fechar o capítulo do divórcio até à próxima cimeira da União Europeia.

“É realmente preocupante se não conseguirmos o acordo para passar à segunda fase em dezembro. Isso significa que, provavelmente, só em março haverá uma nova oportunidade. Se assim for, não haverá muito tempo para discutir o período de transição, que será algo politicamente ainda mais complicado de fazer”, disse Simon Usherwood, investigador na Universidade de Surrey, em entrevista à euronews.


Apesar de alguns avanços, continuam por fechar os três principais capítulos do divórcio: garantias sobre direitos dos cidadãos, tipo de fronteira na Irlanda e acerto dos compromissos financeiros.

Steven Laycock mudou-se do Reino Unido para Bruxelas nos anos 80 e, recentemente, assumiu a cidadania belga por causa da Brexit.

A questão dos direitos é para ele prioritária, dizendo que “no mínimo, espero que esses direitos sejam mantidos integralmente, incluindo livre circulação e por aí diante. Penso que é algo que tem de ser decidido rapidamente”.

“A pressão aumenta para a primeira-ministra britânica, Theresa May, que tem de lutar em duas frentes: interna e europeia. Dezesseis meses depois do referendo que ditou a saída do país, as divisões permanecem. Fonte britânica próxima das negociações de Brexit em Bruxelas está confiante que será dada luz verde, no mês que vem, para passar à segunda fase sobre o acordo de parceria”, explica Damon Embling, correspondente da euronews.